Tags

, , , , , , , , , , , ,

Diga-me como você se senta e eu direi quanto sexo você faz

A postura do corpo influi em muito mais aspectos do que na nossa dor na coluna. Na verticalidade está a virtude

A cada segundo de cada dia andamos de forma enérgica ou encurvada, falamos em um determinado tom, rimos, gesticulamos com as mãos ou ficamos com a cara amarrada… Cada gesto, cada sorriso e cada postura corporal que mantemos são formas de comunicação não verbal. De fato, a postura dá sérias pistas de nosso caráter e atitude. Como esclarece o médico Manuel Villanueva, traumatologista, cirurgião ortopedista e diretor médico do Instituto Avanfi, “a saúde e a qualidade de vida das pessoas dependem também da postura corporal, embora nela intervenham fatores biomecânicos, fisiológicos e aspectos da personalidade”.

Falamos, portanto, de personalidade e saúde. Como observa o médico, “uma má postura na mesa de trabalho, depois de horas diante do computador, pode dar origem a dores musculares ou da coluna, daí a importância de conhecer e manter a postura adequada [costas alinhadas com a cabeça, ombros relaxados e cotovelos junto ao corpo]. O curioso é que a personalidade também influi no modo como nos sentamos”. Conclusão: moldar sua personalidade repercute na saúde.

…O último estudo que se aprofunda na relação da postura com aspectos extracorporais é da equipe de pesquisadores de Linda Smith, da Universidade de Indiana (EUA), que em março anunciou na Plos One uma relação surpreendente entre a posição do corpo, a aquisição de conhecimentos e o desenvolvimento da memória a longo prazo. “Um grande número de estudos sugere que a memória está estreitamente ligada à localização de um objeto [você se lembra de alguma coisa porque a localiza espacialmente]. Nenhum, no entanto, tinha demonstrado que a posição corporal desempenha um papel importante”, declarou a doutora Smith. Para uma criança, por exemplo, e sempre de acordo com seus experimentos, será mais fácil aprender o nome de um novo objeto se o observa de uma perspectiva em vez de outra. Claramente, importa (e muito) como e onde for colocado.

Leia mais:
http://brasil.elpais.com/brasil/2015/06/16/ciencia/1434473521_749831.html?id_externo_rsoc=FB_CM

Anúncios