Tags

, , , , , , , ,

Estudante diz que foi proibida de entrar em escola de Salvador usando turbante

A Secretaria da Educação do Estado negou que a aluna tenha sido barrada e diz que ela se retirou ao ser questionada

Uma estudante de 16 anos do Colégio Estadual Presidente Costa e Silva, no bairro da Ribeira, diz que sofreu discriminação e foi impedida de assistir às aulas na terça-feira (1º) porque estava usando um turbante. Aluna do 3º ano do ensino médio, Laís de Jesus, diz em desabafo compartilhado em redes sociais que se sentiu “ofendida, envergonhada e humilhada” ao ser barrada no portão. A Secretaria da Educação do Estado negou que a aluna tenha sido barrada.

No relato da aluna, ela conta que o vice-diretor, identificado somente como Celso, a abordou no portão e impediu que ela entrasse, depois de perguntar porque ela usava um turbante. “Eu disse: coloquei porque quis, senti a vontade”. O vice-diretor respondeu que o uso da peça só era permitida em caso de motivo religioso, alegando que “a escola não é carnaval e não posso permitir um aluno entrar com cabeça coberta”. Laís afirmou que estava sendo racialmente discriminada.

“O meu caso é só mais um e se os demais que venham a passar por isso se calarem isso irá se repetir por milênios! O meu torço deve ser aceitado independente de eu ser candomblecista ou não. Essa regra deve ter mais de 100 anos, nós já estamos em 2016 e isso é lamentável!”, conclui o texto da estudante.

Leia mais:
http://www.ibahia.com/detalhe/noticia/estudante-diz-que-foi-proibida-de-entrar-em-escola-de-salvador-usando-turbante-1/?cHash=01405468534be0cbfa33cf9d7a0969f5

Anúncios