Tags

, , , , , ,

Prejuízo da reorganização à população mais pobre é destaque em audiência pública

Convidado para o debate da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara, secretário da Educação de São Paulo, Herman Voorwald, não foi e nem mandou representante

São Paulo – Os prejuízos da reorganização do ensino do governo de Geraldo Alckmin (PSDB) à educação de mais de 500 mil alunos em todo o estado, a maioria deles pobres, trabalhadores, negros e nordestinos, moradores das periferias dos municípios paulistas, foram destacados na audiência pública da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara, na manhã de hoje (26). O debate foi convocado pelo deputado Valmir Prascidelli (PT-SP) para discutir os impactos da reestruturação e fechamento de 94 escolas estaduais em São Paulo.

O diretor do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apeoesp) Fláudio Azevedo Limas chamou atenção para o fato de a maioria das escolas que serão fechadas ou reorganizadas, deixando de oferecer o ensino médio no período noturno, está nas regiões periféricas. “Entre essas estão escolas de Marília, que atendem a jovens que trabalham no corte de cana e precisam estudar à noite. Sem escola por perto, como farão? Vão deixar de estudar”, disse.

Leia mais:
http://www.redebrasilatual.com.br/educacao/2015/11/prejuizos-da-reorganizacao-a-populacao-mais-pobre-sao-destaque-em-audiencia-publica-1913.html