Tags

, , , ,

Vigília cobrará respeito a diversidade sexual em plano de educação

Ativistas irão à Câmara Municipal de São Paulo na segunda-feira à noite e pretendem ocupar Legislativo na terça para reivindicar que temas sejam incluídos no currículo educacional da capital paulista

São Paulo – Educadores, militantes feministas e ativistas LGBT – sigla para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e outras identidades sexuais e de gênero – vão ocupar a Câmara Municipal de São Paulo na terça-feira (11) para reivindicar que o Plano Municipal de Educação contemple ações de combate à discriminação de gênero e por orientação sexual. Os conceitos – inseridos no plano durante o processo que culminou com a Conferência Municipal de Educação de 2010 – foram retirados do plano durante a tramitação da Comissão de Finanças da Casa, em junho deste ano.

Os ativistas pretendem fazer uma vigília na Câmara desde a noite do dia 10, com atividades culturais. E permanecer todo o dia seguinte na Câmara, quando o projeto deve passar pro primeira votação em plenário. O objetivo é pressionar os vereadores e esclarecer a população sobre a importância de incluir discussões sobre gênero e diversidade sexual no currículo escolar. Segundo Lolita Sala, mãe ativista e membro da Frente Respeito se Aprende na Escola, a reivindicação visa a garantir que alunos e alunas LGBT sejam respeitados e não deixem a escola por ser vítimas de preconceito e violência.

Leia mais:
http://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2015/08/ativistas-defendem-que-discussoes-de-genero-e-diversidade-sexual-nas-escolas-sao-fundamentais-9833.html