Tags

, , ,

Foto: Zandar

Foto: Zandar

Pi não é igual a 3,14

Os matemáticos comemoram hoje o Dia do Pi, uma constante conhecida há milênios

Em 20 de novembro de 2005, enquanto uma balsa com 10 pessoas a bordo desaparecia na costa de Cádiz, enquanto uma tempestade tropical fazia 11 mortos em Honduras, enquanto o tenista suíço Roger Federer perdia sua primeira partida depois de ganhar 24 finais consecutivas, o chinês Chao Lu recitava números sem parar. Durante 24 horas e quatro minutos, gravado por 26 câmeras e com dezenas de testemunhas da Universidade de Agricultura e Ciências Florestais do Noroeste, na província chinesa de Shaanxi, Chao Lu enunciou de cor 67.890 decimais do número pi. Sua façanha foi registrada pelo Guinness. Não errou nenhum.

“Quando alguém escreve que pi é igual a 3,14 meus olhos choram”, confessa o matemático Javier Cilleruelo, assombrado pelos enigmas milenares que o número oculta. Pi não é igual a 3,14, como aprendemos no colégio. Nem sequer é 3,141592653, a cifra que faz com que hoje seja comemorado o Dia do Pi por representar, segundo a notação anglo-saxã, o mês 3, o dia 14, do ano 15, às 9 horas, 26 minutos e 53 segundos. E pi tampouco é o longuíssimo número memorizado por Chao Lu. “Pi é a razão entre o perímetro de uma circunferência e seu diâmetro”, conclui Cilleruelo, membro do Instituto de Ciências Matemáticas (ICMAT), em Madri. Pi, portanto, é eterno.

Leia mais:
http://brasil.elpais.com/brasil/2015/03/13/ciencia/1426279728_452492.html